Bifurcações da vida

Hoje o dia amanheceu nublado. Abri os olhos, procurei um par de meias qualquer para pisar no chão gelado e senti vontade de escrever. Porém não sabia ao certo sobre o quê. Esse blog é a única coisa que eu permito deixar incerto e bagunçado sem me senti culpada por isso. Mas o que acontece aqui fora é complicado de deixar de lado.

Tô aqui mais uma vez porque preciso clarear um pouco as ideias. Porque acho que resolvi que quero mudar de carreira, no entanto me preocupa o fato de que essa vontade partiu de um único vídeo no YouTube. Isso me chateia porque eu sou bastante contra esse negócio de influenciadores.

O fato é que aconteceu mais um daqueles frios na barriga que vez ou outra me ocorrem e me fazem querer jogar tudo pro alto e me atirar de cabeça em alguma coisa. Mas dessa vez o frio na barriga veio acompanhado de uma sensação nervosa, tipo uma pré-frustração. Talvez seja difícil de entender e mais difícil ainda de explicar. Mas sinto como se não devesse nem tentar dessa vez porque sei que essa faísca inicial vai apagar. E aí eu vou esquecer tudo e colocar a minha vida de volta nos trilhos da rotina mais uma vez.

Não sei bem o que me chamou tanta atenção no que a moça do vídeo diz. Talvez tenha sido mais a forma dela se expressar. Sinceramente eu não sei e tô com medo de isso ser só mais um fogo de palha. Tô no meio de uma luta onde de um lado está toda a minha energia, dedicação e vontade de realizar e do outro lado está a racionalidade, o comodismo e o medo do incerto.

Começar algo novo nunca foi um problema pra mim. Passei horas pensando no porquê que agora é e então cheguei a algumas conclusões que não fizeram eu me sentir melhor. Por exemplo, o fato de o medo de estar diretamente ligado a eu já ter acumulado diversos momentos de clicks na mente e frios na barriga, onde todos eles só me fizeram andar em círculos e voltar pro mesmo lugar. Ou então porque na maioria das vezes que eu quis tentar algo novo foi por algum capricho bobo ou porque achei que a vida seria mais fácil por esse caminho.

Talvez eu precise parar um pouco pra refletir profundamente a respeito. Porque essa faísca acesa dentro de mim grita por mais atenção, por mais sinceridade e mais clareza. Preciso parar de olhar pra fora e começar a olhar pra dentro que é onde tenho a chance de encontrar as respostas.

Sim ou não? Tento mais uma vez ou sigo em frente ignorando todas as pistas? Fecho o laptop ou clico em publicar? Abro o meu coração para o novo e colorido desconhecido ou continuo a elaborar planilhas e relatórios para uma empresa que nem combina tanto assim comigo? Continuo caminho na rua da Administração ou dobro a esquina que dá acesso ao Design Gráfico?

Tantas perguntas. Nenhuma resposta até então. Volto quando as coisas estiverem mais organizadas aqui dentro.