Minha Luz (Parte 1)

Queria que ela ao menos imaginasse o que ela significa pra mim. Por fora eu tento, dia após dia, parecer indiferente a tudo. A todas as histórias loucas que ela me conta enquanto estamos deitados de costas na grama em frente a casa dela. A todos os sorrisos simplesmente incríveis que ela dá me obrigando a fingir que não me desmonta por dentro. A todos os segredos que ela insiste em me contar porque sabe que se depender de mim, ninguém nunca vai saber.

O problema é que se ela sequer imaginasse, não seria estranho vê-la sair correndo. Eu não a culparia. Nunca senti isso por ninguém antes. Tenho 18 anos e o que parece é que tudo o que eu deveria sentir por alguém eu tô sentindo só agora. É no mínimo assustador. E eu insisto em evitar porque sei que isso pode estragar tudo. Pensar em perder a confiança que ela tem em mim. Pensar que eu posso nunca mais ver de perto aqueles olhos se fechando quando eu a faço sorrir com algum comentário idiota. Pensar que ela pode decidir não me procurar quando algo a estiver incomodando… Tudo isso é uma barreira que eu mesmo construo. Por puro e inquestionável medo.

Nem sempre foi assim. Não lembro onde tudo começou. Se foi quando ela começou a tocar piano ou quando cortou o cabelo bem curto. Se foi quando eu a vi dormindo pela primeira vez ou quando ela passou a precisar de sutiã. Tantas lembranças. Por vezes me esforcei tentando entender como isso aconteceu. Como me apaixonei pela garota irritante que me jogou no lago e pulou atrás porque não sabia que eu não sabia nadar. A garota sem noção que quebrou a vidraça do meu quarto porque não encontrou uma pedra mais leve pra chamar minha atenção. A garota que cresceu e agora já consegue subir em árvores.

A propósito estou em uma árvore agora. Mas não é uma árvore qualquer. Daqui consigo ver a janela do quarto dela que infelizmente não está iluminada. Odeio não saber onde e como ela está. Odeio ter quase certeza de com quem ela pode estar. Odeio essa sensação de total incapacidade de falar ou ao menos demonstrar o que sinto quando estou com ela.

Droga, ela está saindo de um carro. E… Ah, eu não estava errado. Cara, será que só eu acho eles um péssimo casal? O cabelo dela está tampando quase todo o rosto. Será que esse imbecil não vai colocá-lo para trás da orelha? Pelo visto não. O sorriso dela ilumina muito mais que as luzes desses postes. Tão nítido… Como se ela estivesse perto… Perto demais… Caramba, nem percebi que o carro foi embora. Ela tá vindo em direção à árvore. Sorrindo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s