A vida que queremos

Se só vivemos uma vez, por que é tão difícil fazer um mínimo de esforço pra alcançar os resultados que a gente tanto quer? Minha nossa, a gente levanta todo dia, dia após dia. Às vezes, ficamos até entediados. Dá pra acreditar? Nem o tédio – e nem mesmo o fato de saber que só temos essa vida – ajuda a tirar a bunda do sofá e fazer alguma coisa. Dias atrás ouvi uma frase de uma colega do trabalho, uma frase que a propósito foi um dos motivos que me impulsionaram a começar a escrever aqui.

Comecei a trabalhar recentemente nessa empresa, e em pouco tempo consegui notar o quanto ela se dedica ao trabalho e principalmente o quanto ela é feliz ali. Apesar do óbvio eu disse a ela “você gosta muito de trabalhar aqui, não é?”. E ela me respondeu “sim, com certeza. Eu não me levanto da cama nenhum dia pra ser infeliz”.

Ela seguiu com as atividades dela sem sequer imaginar o impacto que essa resposta me causou. Já eu, demorei por volta de meia hora pra acalmar meus pensamentos e voltar ao trabalho. Porque me dei conta de que naquele exato momento (e nesse exato momento) têm alguém acordando e maldizendo o dia antes mesmo de ele começar. Somos engolidos pela rotina, e esquecemos que o hoje não se chama presente atoa. Todo santo dia temos a oportunidade de fazer alguma coisa, mas preferimos usar toda a nossa energia procurando desculpas ou culpados. É incrível como isso não cansa.

Reuni aqui algumas coisas que já me atrasaram bastante. Decidi colocar tudo pra fora e fazer alguma coisa a respeito.

Visualizar somente o alvo

Quando olhamos para o nosso objetivo, aquele que tá bem longe de acontecer, é fácil desanimar porque a gente já visualiza a imensidão de coisas que teríamos que fazer pra conseguir. Então, fica bem mais fácil adiar porque na nossa cabeça a gente tem que fazer tudo ao mesmo tempo. A geração atual – essa que consegue tudo em um clique – quer tudo pra ontem, não suporta esperar.Sabe quando fazemos uma viagem de carro, colocamos o fone de ouvido e apreciamos as paisagens? Daí vêm vários pensamentos, sensações e ideias. Assim deveria ser quando estamos dirigindo em direção aos nossos objetivos. É muito importante curtir a viagem até lá, sem ficar ansioso – atropelando coisas ou acelerando demais.

Auto sabotagem

É aquela coisa, procurar a todo custo razões que expliquem o motivo de estarmos onde não queremos estar. Infelizmente é ridiculamente fácil fazer isso. O problema é que somos nós os responsáveis pela vida que temos. A ideia é fazermos coisas para chegar em um dia que essa frase nos cause satisfação.

Correr atrás de várias coisas ao mesmo tempo

Não há nada de errado em ter muitos objetivos. Muito pelo contrário, o perigoso é não ter nenhum e andar a mercê do vento ou de decisões alheias. Mas, quando depositamos nossa energia em muitas coisas ao mesmo tempo demoramos mais pra chegar, seja lá onde for. Outro motivo para não nos concentrarmos em vários objetivos ao mesmo tempo é o fato de que, para cada um, vamos ter que abrir mão de coisas que gostamos como por exemplo, acordar tarde, sair com frequência com os amigos, comprar coisas que queremos. Os sacrifícios variam de acordo com o que se quer. Mas é certo que quanto mais objetivos, mais sacrifícios vamos ter e isso não é legal.

Não colocar prazos

Não definir prazos para terminar um objetivo é a mesma coisa que não colocar prazos para pôr um fim nos sacrifícios. Imagina que horror seria viver a vida inteira trabalhando e trabalhando sem poder comprar coisas que queremos.Esse seria um exemplo para uma pessoa que tem como objetivo fazer uma viagem internacional e para isso precisa economizar. Se essa pessoa não definir uma data estimada para que essa viagem aconteça, corre um risco maior de se estressar e acabar gastando o dinheiro.

Contar os nossos objetivos

O perigo não está apenas em ouvir coisas negativas das pessoas que ouvem sobre os nossos objetivos, arrisco dizer que é mais perigoso ouvir comentários positivos daqueles que torcem a favor. Esse aqui é um ponto bem delicado. Vamos com calma. Não é que devemos esconder as coisas e fazer tudo às sombras mas, veja bem, o nosso cérebro é uma máquina extremamente poderosa mas, pode confundir falar com fazer. Quando o cérebro recebe informações externas positivas a respeito de coisas que queremos, ele entende que já demos alguns passos ou que já estamos na metade do caminho. Percebe o risco? É grande a possibilidade de ficarmos parados no mesmo lugar, porque sentimos que não precisamos tomar nenhuma atitude para nos sentir bem. O que a pessoa disse ali já é o suficiente.

Essas coisas podem atrapalhar bastante, mas se não estamos satisfeitos com a vida que temos hoje, não precisamos esperar ter a vida que queremos para então ser feliz. Curtir o processo é essencial. É só descobrir a direção e quais passos nos levam até o nosso objetivo. Assim, podemos diariamente dar um passo a frente e então, vamos acordar e ser feliz todos os dias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s